quinta-feira, 31 de maio de 2012

Dona Caverita


Dona Caverita observava tudo com seu olho direito

domingo, 20 de maio de 2012

Monotonia


Um mesmo tom, monótono
Uma mesma solidão tão sólida
Fria, branca neve que machuca ao olhar
Passos rasos sobre um chão gelado

Dia e noite uma coisa só
Tédio bem cedo e até entardecer
Monotonia, acordes de um mesmo tom

Casa de todas as cores sem cor
Longe, caminhos que cruzei
Penso onde estou tão monótono

Tristeza um lugar sem volta
Espelhos de um tom sombrio

Da mesma monotonia dos poetas 

sábado, 12 de maio de 2012

sábado, 5 de maio de 2012