terça-feira, 21 de setembro de 2010

Viagem

Caminhando pela revolta de tudo o que se foi.
Como caminhar sem se perder?
Em uma estrada que não tem mais fim.
Seguindo passos e sombras.
Por vales e lugares que ninguém ousou estar.
Essa é uma viagem, uma nova viagem.
Quem poderá seguir estes caminhos?
Caminho eu só, neste estranho e assustador caminho.
Venha comigo nesta viagem.
Viajo para o mais longe que posso.
Tropeços nas pedras deste caminho.
Trilho caminhos que me levam para longe.
Longe da sã consciência.
Vejo a sombra de meus pés.
Ferindo o chão.
Eu sou esse chão.
Esse solo.
Você é parte do que restou de mim.
Ferido coração venha comigo.
Vamos viajar pra longe.
Tentar ser quem fomos um dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário